Colunas

Taste Demais – A Tastemade mudou tudo

padrão

Taste demais

A maneira como nós consumimos produtos e serviços mudou drasticamente nos últimos anos. Com a chegada do Facebook, Pinterest, Instagram, Snapchat, Nerflix, sspotify, Uber e muitas outras empresas, o mercado precisou reinventar-se para agradar os consumidores agora extremamente difíceis de convencer.

A Netflix chegou e deu a possibilidade do usuário assistir de uma vez só todos os episódios de suas séries preferidas. O Spotify mostrou para as gravadoras e distribuidoras que as pessoas estão abertas à pagar para ouvir suas músicas preferidas. A Airbnb deixou de maneira escrachada que todos podem ser microempresários com aquele quartinho desocupado. E tudo isso acontecendo e ganhando força pela internet.

As redes sociais tornaram-se a ponte mais prática e menos onerosas no relacionamento “Client to Business” e “Business to Client”. As ofertas que antes demoravam horas e vários meios diferentes para atingir seu público, agora em questão de segundos estão diante do usuário, seja pelos anúncios impulsionados, pelas vitrines ou as lojas virtuais que é possível inserir dentro do Facebook.

O desejo de ser  e estar presente assumiu o podium nas tarefas diárias. O Instagram é inundado a cada segundo por torrentes de fotos que demonstram o estilo de vida, preferências e gosto de cada pessoa. A individualidade passou a ser uma característica do coletivo.

E foi identificando essa mudança no modo de consumo que uma das startups mais conhecidas atualmente surgiu, o Tastemade. Fundada em 2012 por Larry Fitzgibbon, Steven Kydd e Joe Perez, a empresa surgiu durante um jantar entre os amigos e sua paixão pela comida.

“Criamos a Tastemade para conectar nossas paixões com uma oportunidade única para redefinir o entretenimento. Nosso objetivo era fundamentalmente mudar a maneira como o mundo faz, assiste e se envolve com o vídeo.”

img01

Os fundadores perceberam que a quantidade de horas gasta por usuários nas redes sociais aumenta diariamente, além disso, esse mesmo público gosta de ver vídeos rápidos com dicas e ideias diferentes.

Com dois BIILHÕES de visualizações mensais e presente nas redes sociais de mais de 200 países, a ideia ganhou corpo e forma e alcançou o sucesso.

Ao analisarmos o pensamento estratégico que norteou a empresa podemos tirar 3 lições para o sucesso.

  • Entenda o seu público e trace personas:

A grande jogada por trás do Tastemade foi justamente entender a necessidade e o comportamento do usuário, e a partir disso, definir a maneira que os vídeos seriam gravados, o tempo de duração e em quais redes sociais o material seria lançado.

Entender o público, o comportamento e o discurso define a linha tênue entre o sucesso e o fracasso de campanha nas redes sociais. Não adiante ter uma peça graficamente consistente, uma boa chamada, mas não direcionar e atingir quem realmente vai consumir seu produto/serviço.

Estude seu público alvo e crie personas que se identifiquem com o discurso da sua marca. Uma campanha nas redes sociais só é barata porque existe a possibilidade de segmentar e atingir quem realmente importa.

  • O tempo é seu inimigo

Gastar mais tempo no celular ou computador não significa que o usuário está disposto a gastar vários minutos desfrutando do conteúdo proposto, muito pelo contrário, todo esse tempo e dividido em pequenas “porções de conteúdos diferentes” com tamanhos e formatos distintos.

Com vídeos rápidos e curtos, o Tastemade transmitiu duas coisas para o usuário: Todos podem cozinhar, afinal, quem nunca viu um vídeo de 1 minutos com uma receita simples e pensou, “Eu posso fazer isso tranquilamente”, e gaste menos tempo vendo a receita e o passo a passo, e vá cozinhar, se diferenciando dos programas de culinárias presentes no Youtube, por exemplo.

  • A evolução é natural

Com o tempo o plano de negócios da empresa se diversificou, além dos vídeos nas redes sociais, o Tastemade está presente na televisão, e mais recentemente em um App. Antes utilizada como cargo feche para divulgar a marca, agora o facebook e instagram são ferramentas para promover o app. O usuário vê trechos da receita nessas mídias e é convidado a baixar o aplicativo.

Até os negócios mais inovadores precisam reinventar suas estratégias e planos de negócios, as pessoas mudam, seus desejos muda, e principalmente, a maneira que consomem serviços e produtos, não existe um padrão eterno, a evolução e a reinvenção precisam ser constantes.

Comentários
INÍCIO