facebook
Design

A vida de um cartunista independente

Diretor de arte, ilustrador, publicitário, redator, desenhista, diagramador. Entre as tantas possibilidades do ramo da área criativa, o cartunista e designer gráfico Vitor Teixeira, de 29 anos, encontrou nas charges a possibilidade de expressar sua opinião de maneira independente.

10538_256769514465546_1182611771_n

Era junho de 2013. Em meio às manifestações que aconteceram no país, ele começou a ficar conhecido por suas opiniões e críticas a temas da sociedade. Foi aí que ele decidiu seguir a carreira no segmento. “Postei alguns desenhos que fizeram algum sucesso nas redes e isso me motivou a dar sequência no trabalho”.

“Não acredite em neutralidade e imparcialidade, esses conceitos não existem. São miragem”

12512439_670486199760540_1351513516535441073_n

DCon: Como é o processo de criação de seus trabalhos e quais ferramentas utiliza?
É simples. Acompanho o noticiário diariamente, escolho os temas, matuto um pouco sobre eles e vou pra prancheta. Uso papel e caneta e finalizo digitalmente.

11220934_629558040520023_8497909587612510295_n

Trabalho feito ano passado durante a repercussão do caso de vazamento de lama da Samarco, em Mariana – Minas Gerais.

DCon: Além das charges independentes, você já foi convidado para fazer outros tipos de trabalhos? 
Claro, antes de ser cartunista, sou ilustrador e designer, então já trabalhei em diversas outras áreas.

1609686_349635845178912_792672265_n

DCon: Quais as dificuldades que você encontra atualmente na profissão? Tanto na questão de opinião política quanto na questão de valorização da profissão?
Minha impressão é que as redações ainda não levam o cartum muito a sério. Ainda tratam como um bibelô que vai no canto da página pra deixar ela mais colorida. Um dos motivos desse problema é também a qualidade da charge que se produz no país. Pouco enfrentamento, muita gracinha.

12661775_661090657366761_4481494392019025806_n

DCon: Recentemente, você postou uma charge “Cartunista do Futuro”. A crítica que você faz em relação aos likes serem como forma de pagamento já não é uma realidade?
Totalmente. Quem se curva demais para o seu público acaba ficando de quatro pra ele.

DCon: Como você vê a questão de direito autoral, já que suas charges são amplamente divulgadas em sites, blogs e outros tipos de mídia?
Não sou capaz de responder, citando Glória Pires no Oscar, mas sempre me deixa puto. Pior é quando portal que você sabe que tem recursos.

DCon: Você recebe com frequência propostas para fazer trabalhos gratuitamente? Como você lida com pedidos do tipo? Ou aceita por causas sociais?
Sempre recebo. Avalio individualmente e faço quando tenho espaço na agenda e acredito na causa.

Ilustração para o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), pelos direitos das atingidas!

Ilustração para o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), pelos direitos das atingidas!

Jogo rápido

Uma inspiração?
Quino.

1551607_691365947551862_1021411010_n

Para você, o que é ser desenhista/designer?
É comunicar. Buscar melhores saídas e modelos pra comunicação.

Para quem está começando, qual dica você daria?
Não acredite em neutralidade e imparcialidade, esses conceitos não existem. São miragem.

Mais do trabalho do Vitor, você encontra na sua página.

 

INÍCIO