Dicas

Livros que todo designer deveria ler

O design é umas das áreas que mais exige que seus profissionais estejam em um processo constante de atualização, isso deve-se ao fator humano. Por criar conceitos imagéticos que lidam diretamente com o público, é necessário sempre estar em busca de novidades.

Lembro de ter escutado uma vez que a criatividade é fruto do substrato social, ou seja, tudo aquilo que ouvimos, lemos, vemos, e principalmente, vivemos é assimilado pelo nosso cérebro e posteriormente utilizado de alguma forma.

Partindo desse pensamento, é válido pensarmos que um bom designer é aquele que está constantemente reciclando seus conhecimentos, lendo blogs, livros, testando novas técnicas, basicamente nutrindo-se de boas informações e ideias.

Ainda nesse raciocínio, podemos, por exemplo, concluir que a melhor forma de pular, ou se desvencilhar do bloqueio criativo é aprendendo coisas novas, pois nesses momentos, as ideias e conceitos armazenados são a principal arma.

Parece meio óbvio isso, mas, em 1940, quando Edmund Bergler introduziu o conceito de bloqueio criativo, ou como foi inicialmente chamado “inibições neuróticas da produtividade”, tudo era muito vago, mas ainda assim, o pesquisador concluiu que um dos grandes causadores dessa condição são fatores internos, que vão desde a falta de conhecimento para solucionar problemas a estresse por fazer uma tarefa de forma demasiada.

De forma simplória, o que podemos concluir é que quando mais buscamos conhecimento mais criativos ficamos. Pensando nisso, esse artigo vai indicar fonte de inspiração, e claro, aprendizado.

Livros

“A Forma do Livro” é um dos materiais mais ricos quando o assunto é produção de impressos. A narrativa aborda desde diagramação à concepção do exemplar em si. E o melhor, esse é o quinto exemplar de uma coleção igualmente estasiante.

Autor: Jan Tschichold
Quantidade de páginas: 224

O design do livro segue a mesma premissa da indicação anterior: os passos que devem ser seguidos para concepção de um material impresso consistente.  O diferencial desse volume é que oito grandes nomes do design gráfico mundial estão envolvidos no processo, ou seja, é uma fonte riquíssima de conhecimento.

Autor: Richard Hendel
Quantidade de páginas: 224

Quando o assunto é tipografia e estruturas de criação tipográficas, “Elementos Do Estilo Tipográfico” é referência. O livro aborda desde o histórico e as diversas transformações tipográficas, até a concepção e estrutura de uma fonte. A grande maioria, senão todas as faculdades, costumam usá-lo como referência na matéria de Tipografia.

Autor: Robert Bringhurst
Quantidade de páginas: 448

“Pensar com Tipos” é daquele tipo de livro que te leva a refletir e encarar um assunto que parece simplista da maneira mais extraordinária possível. O livro disponibiliza questões que vão desde a concepção tipográfica a maneira como o usuário final lidará com o produto.

Autor: Ellen Lupton
Quantidade de páginas: 224

Curtiu essas dicas de leitura? Tem outros exemplares que você gosta? Indica pra gente nos comentários.

Até a próxima! 🙂

 

INÍCIO