facebook
Artigos

Os tipos de mensagens visuais

A principal função de um designer gráfico é passar uma mensagem clara, usando recursos visuais, de um cliente para um público específico. Quando esse objetivo é alcançado, o público-alvo decodifica a mensagem e a responde, criando assim, uma comunicação visual entre os interlocutores.

Para conseguirmos entender essa relação de mensagens visuais e seus impactos, o designer David Carson demostrou um exemplo simples e claro em sua apresentação TED. Observem a imagem abaixo:

Foto: https://www.ted.com/talks/david_carson_on_design?language=pt-br#t-189885

Percebam que é a mesma garagem, as mesma cores, as mesma palavras, a mesma frase, mas o impacto da mensagem é bem diferente. A garagem da imagem a esquerda passa uma mensagem mais “educada”, mais “calma”. Já a garagem da imagem da direita parece ter sido escrita por um psicopata que irá te matar caso pare com o carro na frente dela.

Nesse contexto, podemos perceber que realmente ocorre uma comunicação por meio de imagens e elementos gráficos. E essa comunicação visual é iniciada a partir de alguns tipos de interações entre pessoas e determinados estímulos visuais provenientes de representações gráficas. Essas mensagens visuais podem ser categorizadas em três níveis: Representacionais, Abstratas e Simbólicas.

Imagens Representacionais

É tudo aquilo que visualizamos diretamente a partir de uma experiência vivida. A informação representativa de uma imagem é a forma mais rápida e direta da mensagem chegar ao nosso entendimento.

Um desenho hiper-realista é uma mensagem direta do que o ilustrador está observando, e quem for apreciar sua obra, também não terá nenhum problema na hora de decodificar o seu desenho, mesmo que nunca tenha visto aquela imagem específica. O excesso de detalhes não passa despercebido e a torna praticamente real. As fotografias, por exemplo, são cópias reais do que a lente “vê”.

Imagens Abstratas

Formas mais emocionais e livres de criação de mensagens visuais. A abstração liberta o artista visual. Ao abstrair uma imagem, um mundo novo se abre e inúmeras possibilidades surgem para a representação de uma solução visual, sem necessariamente tornar explícito a forma do que é observado. A experimentação é essencial para que esse processo de abstração seja único e variado.

Imagens Simbólicas

Não deixa de ser uma forma de abstração, no simbolismo, a representação é definida pelo significado implícito do objeto observado. A estrutura do desenho é simplificada de tal modo que a mensagem chega ao observador representando um grupo não tão específico. Os traços e formas mais pertinentes são colocados para criar uma relação com o grupamento de objetos em questão. Ícones são exemplos de simbolismo de um grupamento amplo.

Além disso, a codificação de elementos da comunicação estão presentes nessa forma de interação. Um exemplo disso são os números. Os números são meros símbolos que representam uma quantidade específica. Símbolos religiosos também são excelentes exemplos do poder da comunicação visual na vida das pessoas.

O designer gráfico é um leitor e um comunicador visual
Em momento algum um projetos gráfico pode ser idealizado de forma aleatória, quando ele tem a função de comunicar uma mensagem específica e o designer gráfico é o profissional que foi designado a ler essa complexa informação visual. Esse alfabetismo visual o torna capaz de expressar da forma mais correta possível a comunicação de uma peça gráfica de modo a atingir os objetivos propostos pelo cliente.

Esse assunto é bem interessante e se você quiser pesquisar mais a fundo, recomendo o livro:

DONDIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual. 3a ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007

CARSON, David. Design e descoberta. TED2003: Disponível em: <https://www.ted.com/talks/david_carson_on_design?language=pt-br#t-189885>. Acesso em: 01 dez. 2017.

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor

 

INÍCIO