facebook
Artigos

O papel do Design-Arte no processo criativo do design

Na semana passada estive no DW SP visitando grandes feiras de design onde havia algumas propostas mais encaminhadas para o Design Arte. Em palestra afirmou-se que “Design Arte é babaquice”; outra exponente afirmava que belos objetos de design deveriam estar expostos em um museu de arte e ser apreciados como tal. Uma coisa é design e outra é arte, certo?

Sou designer de produto e como designer confesso que nunca fui muito fã do Design Arte, gosto da escola alemã e japonesa e acredito que muita Arte no Design, acaba desqualificando e anulando o design como tal transformando a proposta em algo inútil e absurdo; mas essas discussões do DW me levaram a questionar o papel do Design Arte e acredito que agora entendo o seu papel no mundo moderno.

ONDE ESTÁ O DESIGN ARTE NUMA ESCALA DE DESIGN?

No mundo do design, temos duas escolas de design, excelentes e opostas. A primeira, uma escola alemã que segue estritamente os cânones do design tais como Braun, e tem designers como Dieter Rams, onde não existe espaço conceitual para a arte. O objeto é friamente projetado para ser o mais funcional possível em todos os aspectos. Ainda que um objeto da Braun possa ser uma “obra de arte de design”.

Por outro lado, a escola italiana de design seria o mais perto do Design Arte, sendo mais flexível e com empresas como Alessi que jogam mais na percepção lúdica do objeto, com cores e formas “inovadoras” transformando a sua proposta em algo mais artístico, mais livre. O Design Arte talvez poderia ser um passo além da escola italiana. Em uma escala de progressão teríamos então o design alemão, design italiano e design arte.

O DESIGN E A CRISE DO MUNDO

O meu Mestrado em Design me demonstrou claramente que o grande problema que enfrentamos é o consumo. Percebi então que o design deveria estar um passo adiante e ser também uma “ferramenta para a educação ecológica da sociedade”. E é ai que entra o Design Arte!

Talvez um design puramente industrial, não permita um momento de reflexão sobre a crise do planeta. O Design Arte poderia cumprir esse papel com uma proposta conceitualmente mais flexível, mais lúdica. Ele permite o questionamento, uma quebra de paradigmas mentais. Finalmente o design deve levar também a uma inovação pessoal, do nosso estilo de vida.

Acredito que como “designers puristas”, devemos deixar um pouco de lado a “intolerância conceitual” que nos é ensinada na escola, algo como “Isto é Design, aquilo é Arte e não se misturam!” e perceber o Design Arte como uma proposta mais lúdica, livre que nos leva à mudanças de paradigma, novos questionamentos. Acredito que o papel do Design Arte seja esse neste século 21 de questionar, provocar mudanças internas.

Junto com o Design “industrial mais duro” mas ainda inovador, os dois tipos de design podem talvez se complementar e juntos levam a um novo caminho que todos vamos seguir algum dia: estilos de vida mais amigáveis com a Terra.

“O Design pode ser apenas apreciado e arte usada?”

O “designer” Marcio Dupont acredita que o bom design transforma vidas, e é uma ponte entre este presente insustentável e um futuro sustentável mais justo e humano.

Siga ele no LinkedIn

 

INÍCIO