facebook
Tecnologia

O FUTURO É AGORA: Stop Motion, realidade aumentada e vídeo 360º

Um mundo antigo com um olhar novo – Stop Motion, realidade aumentada e vídeo 360º

O cinema e a publicidade evoluíram muitos nas últimas décadas. Técnicas e ideias antes admiradas foram cedendo lugar para novas. Algumas ganharam uma nova roupagem, e o que antes levava meses ou semanas, agora pode ser feito em dias.

Esse avanço constante traz a sensação de que o novo acontece a todo instante, o que de certa forma é ótima, afinal, temos uma sociedade de consumo que é alimentada diariamente pela palavra novidade. Entretanto, temos um sentimento coletivo de nostalgia, ou seja, ver determinado desenho 2D e sentir saudade da técnica de animação clássica, ou assistir o canal Cultura e ver o desenho Pingo (Clássico vespertino) feito completamente em stop motion e pensar: “Nossa, as coisas mudaram muito”.

O vídeo tomou conta da tela com vinhetas, propagandas, filmes, longas, curtas e muitos outros, tirando parte do impacto da imagem estática.

Para se ter uma ideia, de 100 pessoas que acessam um site, 80 delas preferem ver um vídeo do que ler um texto ou interpretar um infográfico.

Essa construção de vídeos para mídia se reinventa a cada ano. A tecnologia e o dinamismo são as palavras de ordem, prova disso é que nos últimos 5 anos, tivemos a popularização de hologramas 3D feitos com materiais acessíveis, vídeos 360°, realidade aumentada e a reinvenção da técnica de stop motion.

Hologramas

Os hologramas funcionam com duas fontes de luz, uma iluminando o objeto e a segunda o filme diretamente. Criada em 1948 por Dennis Gabor, a técnica sempre foi muito explorada em filme de ficção ou futurista, claro que, na maioria das vezes, a interpretação sobre ela era digamos, avançada demais. Com o passar das décadas a holografia foi sendo aperfeiçoada e utilizadas cada vez mais em filmes e comerciais, e principalmente em interações sensoriais entre o público e a marca. Essa evolução foi tão latente que hoje temos parques temáticos com projeções em 7D com  o mesmo princípio.

No ano passado a técnica foi destaque em uma série de vídeos de fácil reprodução. Com materiais simples como um celular e garrafa pet.

Vídeos 360°

Uma experiência mais imersiva, talvez seja esse o target buscado por produtores de vídeo. Despertar novas sensações, retirar o expectador da posição de passivo e realoca-lo como agente ativo do filme ou vídeo que está assistindo.

Os vídeos 360° explodiram em plataformas como Facebook e Youtube, além de serem fortemente utilizados em divulgações, como foi o caso do filme Invocação do mal que usou a técnica em um dos seus trailers.

Ano passado, a Google surpreendeu a todos com o lançamento de 360 Google Spotlight Story: Pearl, uma animação em 360° que conta a história de uma família a partir do ponto de vista de um carro, o diferencial do vídeo como o nome sugere é que ele é 360°, tornando a experiência de assistir única, pois você pode transitar entre ver a mudança na filha do dono do carro ou dele. O curta foi tão bem-sucedido que despontou entre os 5 finalistas na categoria de melhor curta metragem de animação de 2017.

Se você tem interesse em desenvolver seus próprios vídeos 360° ou visualizar matérias desse tipo com óculos específicos (Oculus Rift), a Google disponibiliza o projeto gratuito do Google Cardboad para você construir ou você pode comprar um pronto na plataforma.

Realidade Aumentada

A realidade aumentada tornou-se a queridinha dos amantes de tecnologia. Cada empresa aposta no uso da técnica de forma diferente. A Niantic apostou no universo de Games com Pokemon Go, já a Natura usou e abusou no seu comercial Espelho de Maquiagem Virtual – Natura Uma, e o curta Hyper-Reality imaginou como seria uma sociedade movida pela realidade virtual.

Independente do uso comercial, a técnica pode e deve ser usada de forma muito prática para experiências imersivas com marcas e produtos, trazendo a toma um conceito muito explorado de marcas vivas, que não só vendem seu serviço/produto, mas a experiência de consumi-lo.

A StarBucks há alguns anos atrás fez uma campanha muito inventiva para divulgação dos seus copos promocionais de natal, todos eles poderiam ser visualizados com realidade aumentadas, quando lidos pelo aplicativo desenvolvido pela empresa, uma animação era mostrada na tela do celular.

Stop Motion

O Stop Motion não é nem de longe uma técnica nova, muito pelo contrário, desde a era de ouro do cinema ela é utilizada em cenas de efeitos especiais, mas é interessante lista-la porque os avanços e a modernização dela são surpreendentes.

Recentemente os cinemas foram presenteados com o excelente Cubo e as cordas mágicas (kubo and the two strings), o filme conta com uma estrutura extremamente moderna de captação de movimentos para os personagens, mas o espetáculo fica por conta dos robôs animados criados para as cenas de luta ou personagens gigantes como os Olhos, pelo Making Off é possível notar toda a engrenharia por trás do filme.

Ano passado a Unicef lançou o curta Unfairy Tales: Malak and the boat, uma das animações que falava sobre a crise na Síria, para construção foi utilizada a técnica de Stop Motion, com efeito e acabamento em softwares gráficos.

Essa evolução é interessante, pois como foi citado no início do artigo, por mais que técnicas novas surjam a cada dia, há espaço para as clássicas como Stop Motion com uma nova roupagem e até mesmo sendo aperfeiçoada pelo melhor da tecnologia, criando um elo entre o passado e o presente.

 

INÍCIO