facebook
Mercado

Entrevista: Designers Brasileiros chega a cinco anos

DALMIR

2016 deve ser um ano de comemoração para o Designers Brasileiros. O motivo? O portal chega a cinco anos de existência com uma trajetória que faz parte do cotidiano dos profissionais com dicas e inspirações sobre nosso ramo.

Com mais de 150 mil acessos mensais, o responsável por tudo isso é o acadêmico de direito Dalmir Junior, de 20 anos e morador de Jundiaí, em São Paulo. Além disso, ele é proprietário da agência Japi e se considera um autodidata em Design Gráfico.

Agora que vocês já conhecem um pouco sobre o entrevistado desta edição do Cases do Mercado, confira a entrevista na íntegra!

DC: Como e quando surgiu o Designers Brasileiros? Na época, outro portal foi inspiração para o surgimento?
O Designers Brasileiros surgiu em 2011 quando eu notei a escassez de informação sobre design em geral, minhas inspirações foram o Choco La Design e Design Blog.

Antiga interface do blog (Foto: Reprodução).

DC: Quando foi que você percebeu que o portal estava ganhando espaço entre os profissionais e acabou se destacando?
No mesmo ano em que surgiu, o Designers Brasileiros entrou para um grupo de manifestação contra a Globo News, que fez uma matéria que ridicularizou os designers profissionais, no mesmo ano fomos eleitos entre os TOP 100 do concurso TopBlog, foi aí que notei o patamar que estávamos alcançando.

DC: Atualmente, quantas pessoas trabalham no site? Vocês possuem uma sede física ou os jornalistas/autores trabalham home office?
Atualmente somente eu estou atualizando o site, mas já tivemos 6 colaboradores produzindo conteúdo.

DC: Como é definida a linha editorial das publicações? Há sempre um cronograma do que deve ser postado, além das notícias factuais?
Normalmente fazemos pelo menos duas postagens por semana, abordando assuntos de interesses de diversas áreas do design.

DC: Quais prêmios o portal já ganhou pela a atuação?
Conquistamos o TOP 100 do TopBlog 2011, 2013 e 2015 e estamos concorrendo ao TOP3 deste ano. Fomos também selecionados para o extinto Clube dos Autores, além de sermos citados em diversos posts de indicação.

Falamos também sobre a economia brasileira

DC: Passamos por um momento difícil na situação econômica do país. Agora que 2015 já passou, como você enxerga os resultados obtidos no mercado no ano passado?
Nossos resultados foram bem positivos, 2015 foi a nossa migração de blogger para wordpress, plataforma que nos proporciona um maior dinamismo. Conquistamos alguns anunciantes e crescemos mais de 100% no facebook.

DC: Qual é a sua expectativa para este ano?
Bom, esse ano o nosso portal completa 5 anos, estamos com algumas surpresas para este ano, financeiramente acho que será pior que o ano passado, mas para o portal, creio que será positivo.

DC: O que você pensa sobre seguir os valores determinados em tabela para preços de serviços, como por exemplo a da Adegraf?
Não gosto, eu como proprietário de agência, prefiro a liberdade de dar o meu preço, a tabela pode ser uma base, mas não para ser seguida em 100%.

DC: Uma das grandes discussões da área é de que há profissionais que aceitam trabalhos por preços muito baixos. Você acha que isto faz o valor dos serviços do profissional se desvalorizar?
Um fato é que quem cobra barato dificilmente traz bons resultados, logo, o cliente buscará um profissional melhor e que, sem dúvidas, cobrará um valor correto. Gosto da frase do CEO da Jaguar, Ralf Speth, “se você acha que um bom design custa caro, deveria dar uma olhada nos prejuízos de um design ruim”.

Flat Design ainda é tendência (Foto: Reprodução).

DC: Após quase três anos com o Flat Design em alta, você acredita que ele deve continuar e ser uma tendência ou acha que outro estilo deve mudar este cenário de influência nas criações?
Provavelmente, ficaremos mais alguns anos com o Flat Design em alta, tendo em vista o crescimento nas vendas de smartphones, que têm grande conexão com o Flat Design, que é leve e agradável.

DC: Você acredita que os softwares de edição de imagem melhoraram muito nos últimos anos?
Sem sombra de dúvidas, a cada nova atualização, novas ferramentas são disponibilizadas e isso auxilia o dia-a-dia do profissional de criação.

JOGO RÁPIDO
Uma inspiração e por que?
Quando falamos de pessoas, Iran Pontes, um cara que alcançou um sucesso enorme a frente do Design Culture, e que é muito humilde, muito gente boa, ele inspira as pessoas para que sempre corram atrás de seus objetivos, já me ajudou bastante.

Para você, o que é ser designer?
Ser um designer é construir o sucesso ou a desgraça de qualquer coisa, desde um produto até uma marca, é realizar sonhos e transformar a realidade.

Por que escolheu a profissão?
Sempre fui muito ligado na web, desde meus 8 anos busquei estudar na internet sobre a criação de sites, desenvolvimento de logos, em 2004 eu abri meu primeiro blog.

Além do site, atua em outra empresa?
Sou gestor de mídias sociais da Editora Cruz de Malta

(Foto: Reprodução).

Um case que você considera ser um sucesso?
A Coca-Cola é um exemplo de sucesso, conseguiu tornar a marca de apenas um refrigerante, em uma empresa, que tem diversos produtos, desde águas até cervejas. Além de ser exemplo em publicidade e também conseguir alcançar novos mercados, como o de vestuário.

 

INÍCIO